O que falta para respiramos melhor, caminho para zerar as emissões do transporte, fim das inscrições ao Prêmio MapBiomas – Notícias do IEMA

31 de janeiro de 2019

Olá! Este é o primeiro boletim do Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA) de 2019! Estivemos dez dias em recesso, mas voltamos com toda a energia. Seguem alguns destaques.

Folha de S.Paulo publicou artigo do André Ferreira, diretor-presidente do IEMA, sobre as atualizações dos padrões de qualidade de ar feitas pelo Conama. No texto “O que falta para respirarmos melhor nas grandes cidades”, Ferreira ressalta que a adoção dos novos padrões é apenas um ponto de partida para efetivamente restabelecer a qualidade do ar. 

resolução permite que os novos padrões de qualidade do ar não sejam adotados caso os relatórios estaduais apontem falta de condições para isso. Ou seja, podemos continuar respirando o mesmo ar poluído

Este mês, Marcelo Cremer, pesquisador do IEMA, trocou o calor do trópico pelo inverno em Washington, D.C. para participar do Encontro Anual do Transportation Research Board (TRB), evento da Academia Nacional de Ciências, Engenharia e Medicina dos Estados Unidos. O evento abordou as três grandes revoluções em curso na mobilidade: eletrificação, automação e compartilhamento.

“Há um aparente consenso de que as duas primeiras revoluções - eletrificação e automação - irão acontecer. A terceira, mais comportamental, permanece uma incógnita”, conta Cremer. “Mas, se as duas primeiras se desenrolarem, o compartilhamento passaria a ser praticamente obrigatório para diminuir os deslocamentos feitos por transporte individual.”  Algumas novidades do evento estão sendo divulgadas nas nossas redes sociais.

Clima

Em 2019, o IEMA deve debater como seria possível descarbonizar a matriz energética brasileira, em especial o transporte de cargas e de passageiros e a geração de energia elétrica. Que caminhos o país deve seguir para zerar suas emissões de carbono no futuro? 

Aliás, mais para o meio do ano, teremos os já clássicos documentos analíticos Sistema de Estimativas de Emissões e Remoções de Gases de Efeito Estufa (SEEG), promovido pelo Observatório do Clima. As instituições que produzem o estudo são IPAM, IMAZON, IMAFLORA, ICLEI e IEMA. 

Energia elétrica

Este ano seguiremos analisando o acesso à energia elétrica em comunidades isoladas na Amazônia. O uso de energia elétrica atende a diversas necessidades básicas como refrigeração para armazenar medicamentos especiais, por exemplo.

Nessa área, também estudaremos a disponibilidade hídrica para termelétricas. Muitas usinas consomem grande volume de água, evaporada no sistema de resfriamento. Em bacias onde há escassez do recurso pode haver disputa com outras utilizações como abastecimento público e agricultura, por exemplo.

Mobilidade

O Instituto Escolhas lançou a Plataforma #Quanto é? Morar Longe, que mostra os custos monetários e não monetários associados a morar em cada área da Região Metropolitana de São Paulo.

É possível traçar um trajeto e estimar a emissão de gases de efeito estufa geradas, o tempo em média para completá-lo, quais são os índices de educação e de violência nesses locais. O IEMA forneceu dados para calcular as emissões dos trajetos.

Como São Paulo não para, no decorrer do ano, o IEMA divulgará notícias sobre as emissões de gases de efeito estufa da frota de ônibus da cidade e outras informações sobre a velocidade das linhas.

Isso porque a Lei de Mudanças Climáticas inclui metas para a redução de emissões de poluentes dos ônibus. Quem sabe algum dia poderemos respirar fundo um ar mais limpo em São Paulo e ter um sistema de transporte público de melhor qualidade?

Qualidade do ar

Matéria publicada no Diário do Grande ABC, maior jornal da região, diz que poluição matará 18 pessoas por dia até 2025 na Grande São Paulo. A reportagem usou informações da Plataforma Qualidade do Ar do IEMA. Os dados são de estudo do Instituto de Saúde e Sustentabilidade em parceria com a Escola Paulista de Medicina.

A saber

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) publicou o estudo "Eletromobilidade e biocombustíveis" com o objetivo de identificar e de discutir as incertezas críticas do mercado de combustíveis automotivos para 2050. A análise conta com gráficos com informações de pesquisas do IEMA. 

Licitação de ônibus na cidade de São Paulo é adiada novamente. Segundo Instituto de Defesa do Consumidor, modelo adotado de contratação de concessionárias apresenta falhas que dificultam a concorrência.

Prêmios

O WDCD Clean Energy Challenge em São Paulo divulgou os dez projetos finalistas. Entre eles, há desde apps para ciclistas até sistemas inteligentes de limpeza do ar. David Tsai, pesquisador do IEMA, foi um dos jurados.

As inscrições para o Prêmio MapBiomas, parceria do Instituto Escolhas e Instituto de Energia e Meio Ambiente com apoio do Instituto Clima e Sociedade (ICS), terminam dia 31 de janeiro de 2019. A divulgação do resultado será em fevereiro. Figa! 

Quer assinar este boletim do IEMA? Inscreva-se aqui!